terça-feira, 20 de outubro de 2015

Eu, barco

Tu és oceano, moço!
Com olhos profundos
Ressaqueando
Me puxando pra dentro deles
Teu cheiro é brisa.
Teus braços, ondas
Que me arrastam
E devastam meus sentidos
Em teus beijos, flutuo
Em teu colo, mergulho
Em teu corpo, navego
E, na imensidão do seu sorriso,
Me perco.

Lola Candeias

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

C.H.

Amor é seu sorriso ao acordar
É beijo com gosto de feijão
É cafuné no sofá
Em um domingo morto.
Amor é aquela troca de olhares
Onde um entende, com clareza,
Que o outro está ali
E ali quer ficar.
Amor é rir das suas piadas
Que não tem a menor graça
(desculpa)
É você me abraçar enquanto cozinho
É você me segurar no ônibus cheio
E dizer que eu tô linda 5h da manhã.
A saudade agora, meu amor,
Resume-se no período entre
Eu te dar um beijo e dizer:
“Até daqui a pouco”
E o momento em que eu abro o portão
E sou recebida com o melhor abraço do mundo.
É querer que o tempo passe rápido
Pra eu te cheirar logo
Sentir aquele aperto no peito
Após nossa despedida diária
E aquele frio na barriga
No beijo de reencontro.
Contigo, aprendi a dividir os dias
O sabonete, o travesseiro.
A casa e os meus segredos.
Curamo-nos no beijo um do outro
E, hoje, somos tão felizes,
Que o resto, meu bem,
É apenas o resto.

Lola Candeias

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Lapso de Saudade

Minha casa alagou
E, aquela foto sua,
- que ficava na cabeceira -
A água levou.

Poderia te ver tirar outra foto
Que me lembre o quanto é bom
Estar perto de você
(Talvez um dia desses
Quando eu tiver uma máquina nova)

Ou, quem sabe, vinte minutos
E uma pizza, correndo.
Só pra ver um pouco
Do seu sorriso, de perto
E lembrar o melhor
Que já tive de mim.

Vinícius Mello

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Moço ♥

Um cara comprido
Do jeito misterioso 
Chegou devagar 
Meio despretensioso 

Me olhava de um jeito
 Que chamou minha atenção
 Me fez querer estar 
Em sua companhia, então.

Em uma noite qualquer 
Sentindo meu desejo 
Me envolveu em seu braço 
E me lascou um puta beijo.

Retribuí com gosto 
E fiquei chocada 
Por mais que eu quisesse 
De fato, eu não esperava.

Quando senti seu toque 
De todos, o mais delicioso 
Notei que, ali, nascia 
Algo completamente novo.

Senti algo incrível 
Quando eu deitei em seu peito 
Pensei comigo: “Puta que pariu 
Eu tô gostando desse sujeito!”.

Deste dia em diante 
Não quis longe dele estar 
Sabia que junto daquele moço 
Por muito tempo eu queria ficar.

E, hoje, mais do que nunca, 
Como já antes eu queria 
Meu amor, no teu colo 
Fiz-me inteira poesia

Lola Candeias

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Esquadros de um amor a dois

Eu quero
Contigo me deitar
Teu pescoço cheirar
Do mundo gargalhar
Até o fim raiar.
Abrir os olhos e te ver
Na tua boca me perder
No teu corpo escorrer
Ouvindo o dia o amanhecer.
No teu colo subir
Na cama cair
E, depois de tanto amor,
nos teus braços dormir.

Lola Candeias

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Fome

Descubro com meus dedos,
O que sua boca já conhece.
Arrepio, tremo, gozo.
Te encaro e você sorri
- já sabe o que fazer.
Você vem
Me pega
Me vira
Me engole.
Meu corpo é braile
Pros teus dedos cegos.
Você me tem na ponta da língua
Você me sabe de cor.

Lola Candeias

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Alma de Pipa

Ela só quer viajar
Nos dias, na vida.
Gosta de conhecer outras praias
Mas, nelas, fica só de passagem
Se vai rápido,
Tal como maresia.
Prefere viajar em si
E mergulhar no seu
Mais profundo mar.
Alcançar estrelas que nadam
E deixar que as ondas
Se encarreguem do seu destino.
Ela é oceano,
Completamente pacífico.

Lola Candeias